sexta-feira, janeiro 16, 2009

Da série ‘Parcerias’: Samuel Rosa e Nando Reis

É Uma Partida de Futebol” foi a primeira parceria entre Samuel Rosa, vocalista do Skank, e Nando Reis [no detalhe]. Apesar de a canção jamais ter ficado de fora dos shows da banda desde que foi lançada (em 1996, no álbum O Samba Poconé), a verdade é que... o quarteto mineiro já fez coisas bem melhores...

De qualquer forma, depois de “É Uma Partida de Futebol”, TODOS os discos do Skank trazem pelo menos uma parceria entre Samuel e Nando. E, de lá para cá, a dupla só teve acertos.

Em Siderado (1998), disco que sucedeu O Samba Poconé, surgiu a balada “Resposta”, que chegou a ser gravada por ninguém menos que Milton Nascimento, com a participação de Lô Borges. Apesar de Siderado ainda apresentar a sonoridade que identificava o Skank naquela época, “Resposta” sinalizava uma influência Beatles/Clube da Esquina que a banda jamais havia exposto até então.

No trabalho seguinte, Maquinarama (2000), houve o grande “cavalo-de-pau” na carreira do Skank. Tudo o que se insinuava em “Resposta” foi afirmado com letras garrafais no álbum que, do ponto de vista conceitual, fez muito pela carreira do Skank. E, mais uma vez a parceria Samuel Rosa-Nando Reis se fez presente na singela “Ali”.

Em 2003, o grupo editou Cosmotron, que veio ampliar as mudanças estéticas trazidas por seu antecessor. Um grande disco. E, dessa vez, uma música composta por Samuel, Nando e Lô Borges foi escolhida para ser a primeira faixa de trabalho: a bela “Dois Rios”.

A coletânea Radiola chegou às prateleiras em 2004. E, entre as duas inéditas, havia, claro, uma canção composta pelos dois amigos: a tristonha “Onde Estão?”.

Carrossel foi lançado em 2006. Bom álbum que não repetiu o êxito dos anteriores, traz uma música de Samuel com o ex-Titã logo na primeira faixa: “Eu e a Felicidade”.

Já o recém-lançado Estandarte*, traz, ao contrário dos trabalhos anteriores, não somente uma, mas três (!) faixas da dupla: “Ainda Gosto Dela” - primeira música de trabalho, com participação de Negra Li nos vocais -, “Pára-Raio” e “Renascença”.


* Leia a resenha na edição de dezembro do jornal INTERNATIONAL MAGAZINE, que ainda está nas bancas.

2 comentários:

Helen disse...

adoorei saber mais sobre eles, mas gostaria de saber se você pode pesquisar sobre, por que eles fizeram essa parceria, e por que fizeram a música :é uma partida de futebol. desde já agradeço,
beeijoos

Tom Neto disse...

Sinceramente, não sei como os dois músicos se encontraram pela primeira vez. Entretanto, “É uma Partida de Futebol” foi composta pelo fascínio que ambos têm pelo esporte bretão - Nando é são-paulino e Samuel é cruzeirense.

Muito obrigado pela sua participação.