quarta-feira, julho 07, 2010

Morre Ezequiel Neves


Não deixa de ser uma bizarra coincidência o fato de Ezequiel Neves [foto], produtor e um dos melhores amigos de Cazuza, ter falecido precisamente hoje, quando o poeta completa 20 anos de desaparecimento.

Mineiro de Belo Horizonte, Ezequiel esteve envolvido na produção de todos os discos do Barão Vermelho – com e sem Cazuza –, além de ser coautor de sucessos como “Exagerado”, “Por que a Gente É Assim?” e “Codinome Beija-flor”, entre outros.

Sem papas na língua, acabou desenvolvendo um estilo inconfundível de escrever, que influenciou dezenas de jornalistas. Foi o mais influente crítico musical brasileiro na década de 1970, tendo colaborado na Playboy, no Jornal da Tarde e na extinta revista Somtrês, entre outros.

Assinou seus textos como Zeca Jagger, Zeca Zimmerman – em homenagem a Bob Dylan –, e criou também um heterônimo: Ângela Dust.

Nos últimos cinco anos, Ezequiel Neves apresentava um quadro de enfisema pulmonar, tumor cerebral e cirrose. Estava internado na Clínica São Vicente, na Gávea, desde janeiro. Tinha 74 anos.

3 comentários:

Tom Neto disse...

O mais curioso é que, enquanto escrevia a postagem sobre os 20 anos de morte do Cazuza [http://tomneto.blogspot.com/2010/07/os-20-anos-da-morte-de-cazuza.html], lembrei do que Ezequiel Neves, bem a seu feitio, declarou, certa vez, sobre “Um Trem para as Estrelas”. Até então, eu não sabia que ele havia morrido:

— Era uma musiquinha horrorosa...

Henry disse...

Às vezes ele também assinava como Zeca Zimmermman (uma variante de Zeca Jagger). Li muito seus artigos na PoP e na Rock, a História e a Glória. Implicava muito com o vocalista do Rush (chamava-o de vocal Pato Donald) e com o som do Yes (som de bolo de noiva). Era engraçado e mordaz. Adorava o som vindo do bairro Pompéia (Made in Brasil). Uma vez assisti ao show deles com o Zeca fazendo backing...Uma figura. Muita luz a ele.

Tom Neto disse...

Tem razão, Henri: o Ezequiel Neves era um cara absolutamente singular. E, considerando a “mesmice” do atual cenário pop brasileiro, fará muita falta...